A Base Militar de Dulce é, supostamente, uma instalação secreta alienígena e subterrânea localizada na cidade de Dulce, na localidade de Archuleta Mesa, na fronteira entre os estados norte-americanos do Colorado e Novo México. As alegações sobre essa específica base militar, colocadas neste post, surgiram primeiro através do empresário Paul Bennewitz, e desde então só fizeram aumentar com as teorias da conspiração, aparecendo em referências de documentários sobre discos voadores, ufologia e na série “Arquivo X”, da Fox.
A partir de 1978, Bennewitz estava convencido de que vinha interceptando comunicação eletrônica entre naves alienígenas e uma instalação militar próximo à sua residência, em Albuquerque. Com levantamento de informações, ele começou a acreditar na existência de uma base secreta militar na cidadezinha de Dulce. A história espalhou-se rapidamente dentro da comunidade ufológica e, em 1990, o ufólogo John Lear alegou que tinha confirmações independentes da existência da base. O cientista político Michael Barkun escreve que as instalações de mísseis subterrâneos da Guerra Fria na área deu plausibilidade superficial aos rumores, tornando a história da Base Militar de Dulce uma “lenda atraente” dentro da ufologia. De acordo com Barkun, relatos sobre experiências com abduzidos e tiroteios entre alienígenas e a Força Delta colocou a lenda da Base Dulce “num patamar bastante acima das restantes teorias de bases secretas subterrâneas”.
Philip Schneider era um ex-engenheiro estrutural do governo americano que estava envolvido na construção de bases militares subterrâneas profundas. Ele foi um das apenas três pessoas que sobreviveram a um incidente que ocorreu em 1979 entre aliens cinzentos e as forças militares norte-americanas na Base Subterrânea de Dulce. Durante os últimos dois anos da sua vida, Schneider deu palestras sobre as coberturas do governo americano, orçamentos negros, e Ovni’s. Schneider nunca foi capaz ou disposto a provar as suas alegações (por exemplo, mostrando a entrada da Base de Dulce). As suas reivindicações receberam pouca atenção da mídia, mas causou um burburinho em círculos entusiastas de ufólogos e teóricos da conspiração.
Curiosamente, Schneider foi encontrado morto em sua residência em janeiro de 1996. Alguns sugerem que ele foi assassinado depois de vários atentados contra a sua vida e a sua família, por expor a verdade sobre o orçamento negro do governo dos Estados Unidos e falar abertamente sobre o que está realmente acontecendo no subsolo com a agenda alienígena.
Depois de algum tempo começaram a circular vídeos fakes que diziam ter sido contrabandeados do sistema de segurança da base militar, onde humanos e alienígenas circulavam e trabalhavam juntos harmonicamente em horríveis experiências biogenéticas e híbridas. Depois surgiram supostas 25 fotos proibidas, também falsas. Cada elemento desta história conta um pedaço desconcertante do mundo desenvolvido, alegando que os países hegemônicos têm interesses e pactos tecnológicos com aliens, algo que vem desde a Segunda Guerra (1939-1945), quando alegaram que Hitler teve a ajuda de greys.
De acordo com os ufólogos crédulos na existência da Base Militar de Dulce, é lá que são realizadas experiências atômicas, de clonagem humana e animal, estudos sobre a alma humana, aplicações de telecinece e controle mental, implantação de chips eletrônicos em abduzidos e rapto de outros animais para cruzamentos genéticos bizarros. Além disso, nesta base haveria uma população fixa de mais de 18 mil aliens trabalhadores, entre grays e reptilianos.
Ainda de acordo com os experimentados neste assunto, há mais histórias, como esta: um policial chamado Gave Valdez e um dono de um rancho chamado Howard Burgerss ficaram curiosos sobre a forma em que o gado estava sendo escolhido para as mutilações e moveram o gado para uma rampa estreita sob luz ultravioleta e descobriram uma substância brilhante no pescoço, na orelha e na perna direita, exames feitos nas áreas em que essas substâncias foram encontradas indicaram depósitos significativos de magnésio e de potássio (esse 70 vezes acima do normal).
De acordo com os ufólogos e militares que afirmam conhecer o sistema da Base Militar de Dulce, há no local uma série de andares subterrâneos com níveis de permissão para chegada, sendo o mais alto o nível 7, permitido somente para pessoas e aliens de extrema confiança e implicados neste “joguete do sistema”:
Nível 1: garagem para aqueles que trabalham lá e moram do lado de fora, como os humanos normais;
Níveis 2 e 3: garagem para trens, naves, máquinas de furar e manutenção de discos voadores;
Nível 4: laboratórios de estudos da alma humana, telepatia, sonhos, hipnose etc.;
Nível 5: apartamentos para alienígenas e criaturas bizarras em geral;
Nível 6: particularmente chamado “Salão do Pesadelo”. Aqui há laboratórios genéticos, onde são feitos experimentos em focas, peixes, pássaros e camundongos, que têm seus corpos amplamente alterados. Há humanos com multibraços e multipernas. Jaulas e tanques com criaturas humanoides, por exemplo, com aparência de morcego com 2m30 de altura;
Nível 7: filas de milhares de humanos, restos de misturas humanas e embriões de humanoides mantidos em armazenamento frio, além de catalogações de DNA’s de antigos abduzidos.
Segundo os militares que afirmam conhecer esse sistema, em Dulce há jaulas com humanos abduzidos, dados como mortos ou desaparecidos, implorando para serem libertados enquanto passam por horríveis experiências com drogas extremamente cancerígenas e alucinógenas. Eles também alertam que os aliens não querem a terra, o ouro, os minerais ou a água que possuímos, nem mesmo a vida humana ou animal. O que os alienígenas querem é o poder magnético que move a Terra.
Ainda segundo os ufólogos que tiveram contato com pessoas que acreditam um dia terem visitado a Base de Dulce, os alienígenas se alimentam do ferro contido no sangue dos mamíferos, além de órgãos como fígado e rins. Outro fato é que as técnicas científicas dos ET’s seriam muitas vezes superiores às nossas técnicas racionais cartesianas. Também algumas mulheres são raptadas só para procriarem; após cerca de três meses de gravidez, de súbito são induzidas a uma espécie de parto. Homens são raptados para terem o sêmen colhido e experienciado nesses laboratórios.
Enfim, ao que tudo indica, a Base Militar de Dulce seria a comprovação de que o governo norte-americano não só reconhece, mas coopera com experiências proibidas eticamente e com seres de outros planetas que visitam várias pessoas em sessões de terror ao serem abduzidas. No entanto, não podemos ser levados a boatarias sem fim enquanto nenhuma prova cabal é encontrada e as supostas testemunhas não nos apresentam nada de concreto.
O cientista político Michael Barkun acredita que os exercícios militares secretos durante a Guerra Fria (1945-1991) fizeram com que as pessoas acreditassem na existência de discos voadores, aliens e bases secretas (tais como o Hangar 18, a Área 51 e a Base de Dulce). Para ele, esta é a terceira lenda ufológica mais importante dos Estados Unidos, perdendo somente para o incidente de Roswell e a Área 51. Barkun diz que até acredita que haja laboratórios secretos de experiências proibidas nos Estados Unidos, mas diz estar convencido de que esse não é o caminho ao pensarmos que os cientistas trabalham em cooperação com entidades alienígenas vindas de anos-luz daqui, deste “pálido ponto azul”. [Fonte]